sexta-feira, 10 de maio de 2013

Vila Real tem uma enorme dívida com este Homem!

    
Numa entrevista recente ao Notícias de Vila Real dizia: “Sinto-me como os novos, com a capacidade de trabalho dos novos, senão até mais”. E tinha toda a razão. Quase até ao fim dos seus dias, e de forma graciosa, foi responsável da contabilidade do Colégio da Boavista, do Lar de Nossa Senhora das Dores e grande dinamizador dos coros da Sé e da Casa do Professor, frequentando ainda a Escola Real de Música. António Alves Miranda faleceu esta madrugada com 87 anos.
Vila Real deve muito a este homem! Entre muitas obras em prol da solidariedade, dos mais pobres, dos desprotegidos, fica a dever-lhe aquela que é hoje uma das maiores referências do ensino em Portugal: o Colégio da Boavista.
 
Há meio século, quando muitos homens e mulheres emigravam para equilibrarem as suas vidas, os filhos ficavam, confiadamente, aos cuidados do colégio como internos. Porém o dinheiro era escasso. Não chegava para alimentar tantas bocas e pagar a professores. Esteve, pois, para fechar portas, não fora o sentido cristão, altruísta e generoso do seu dedicado tesoureiro, que, receando pelo futuro de tantos adolescentes, desamparados e sem as famílias perto, assumiu ele próprio as funções de professor, contínuo e administrador. Visitou um a um todos os credores, assumiu com eles compromissos pessoais, pediu todos os auxílios possíveis à comunidade local, e só assim conseguiu reerguer das ruínas a instituição.
 
O pior é que o coração bom também tem as suas fraquezas. O seu traiu-o esta madrugada. Aqui deixo o mais sentido pesar à sua família e um beijinho muito especial de conforto à minha querida irmã, Idalina, sua nora, que o acompanhou nos últimos momentos, com o amor e ternura do tamanho do mundo que todos bem lhe conhecemos.

Alexandre Parafita